O SEMEADOR

O  SEMEADOR

Sai o semeador de manhãzinha

para a sua faina

cumprindo o seu dom

preparando a sua messe.

O sol ainda nem nasceu

e lá vai ele

de mãos cheias

com doiradas sementes,

sadios germes

de coloridos frutos

promessas de árvores

ou de arbustos,

esperanças de colheitas azuis

princípio de colheitas vegetais.

Lá vão os semeadores

num só afã

esparzindo na terra fofa

as sementes doiradas

sementes do amanhã.

Os pais, os catequistas, os professores,

São como o semeador.

Sempre plantando

os germes da cor,

da flor,

e da beleza.

Segue, semeando

a fé,

o amor...

O pai, a mãe, o catequista, o professor,

semeadores

das colheitas azuis

do amanhã!

        Maria Aparecida Silva Pinto